Comissão da Câmara discute hoje em JP projeto que regulamenta Lan-houses na Paraíba

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

24052010

Mensagem 

Comissão da Câmara discute hoje em JP projeto que regulamenta Lan-houses na Paraíba




Atendendo requerimento do vice-presidente da Comissão Especial das Lan Houses (PL deputado federal Efraim Filho (DEM-PB), a Câmara Federal irá realizar nesta segunda-feira, 24 de maio, em João Pessoa na sede da ANID - Associação Nacional para Inclusão Digital, audiência pública para debater a reglamentação dessas lan-houses.

“As Lan Houses assim como os pequenos provedores de internet e demais micros e pequenas empresas de base tecnológica são fundamentais para a garantia do acesso as novas tecnologias, democratização das telecomunicações e formação de uma cultura de ciência e Tecnologia com participação expressiva da sociedade. Contudo, a regulamentação quanto a participação da criança de do adolescente em todo esse processo, se de um lado precisamos garantir a inclusão digital por outro temos que manter a proteção e cuidados conforme definidos no Estatuto da Criança e do Adolescente”. Afirma Percival Henrique Presidente da Associação Nacional para Inclusão Digital.

Para o deputado Federal Efraim Filho (DEM/PB), vice-presidente da Comissão Especial e que presidirá a sessão na Paraíba, “a realização de eventos externos contribui para o aprimoramento do debate e aproximação dos cidadãos com o tema. Nos transmite a segurança de que o relatório final a ser produzido estará em sintonia com as expectativas que a sociedade espera do parlamento”. Além da Paraíba, apenas São Paulo e Rio de Janeiro serão os únicos Estados a também sediar as conferências externas sobre o tema.

Lan House (Local Area Network - ou rede local de computadores, na sigla em inglês) é um estabelecimento comercial onde as pessoas podem pagar para utilizar um computador com acesso à internet e a uma rede local, com o principal fim de acesso à informação rápida pela rede e entretenimento através dos jogos online.

Segundo o Comitê Gestor de Internet no Brasil, as lan houses detêm cerca de 49% dos acessos à internet no País, sendo a maioria do sexo masculino. As classe C, D e E predominam nesses estabelecimentos, que se tornam oportunidades de inclusão ao menos favorecidos no mundo da tecnologia. Segundo o pesquisador da Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas (FGV) do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Mancau, as lans ajudam a suprir a carência de acesso à cultura e prestação de serviços públicos pela população que vive em comunidades populares ou distante dos grandes centros.

"A pessoa pode comprar livros em sites virtuais ou acessar serviços, como regularização de CPF e declaração de imposto de renda", disse, informando que entre as 150 lans houses existentes no Complexo da Maré (RJ), muitas oferecem serviços desse tipo. A maior parte desses estabelecimentos atualmente opera em áreas carentes.

A incompreensão do fenômeno, como a polêmica criação de cadastro dos usuários e a cobrança de Imposto Sobre Serviços (ISS) e taxa de licenciamento, foi destacada como agravante para a existência de grande informalidade no setor pelo representante da Associação Brasileira dos Centros de Inclusão Digital (ABCID), Rafael Maurício da Costa. "Se tivéssemos leis que tratassem as lans houses a partir de seu potencial inclusivo, não teríamos 83% na ilegalidade", criticou.

Conforme Efraim Filho a finalidade é apresentar experiências e exposições sobre segurança e uso da internet, educação e inclusão social, tecnologia e desenvolvimento e infraestrutura. Para o deputado a Paraíba não poderia ficar de fora dessa discussão.

Na ocasião será debatida a regulamentação nacional para as atividades das em rede ou que oferecem acesso à internet.

Efraim Filho (DEM-PB) defende que as lan houses sejam formalizadas e organizadas para permitir aos brasileiros mais carentes o acesso à internet. "Por exemplo, por que não usar essas lan houses, em parceria com as escolas públicas, como ponto de apoio à pesquisa?, por que não incentivar, isentar de impostos, ofertar computadores de baixo custo para esses empreendimentos?” sugeriu Efraim Filho.

Na avaliação de Efraim Filho, o Parlamento brasileiro não pode fechar os olhos a uma realidade indiscutível, que é a presença de milhares de lan houses em todas as cidades do País, a maioria delas trabalhando na informalidade, mas prestando um serviço de altíssima relevância, pois são essas lan houses que mais têm promovido a inclusão digital.

"Dos 12 milhões de computadores vendidos no ano passado, apenas 470 mil foram parar nas lan houses, que têm o poder de inclusão muito maior. O País não está preparando uma matriz eficiente e democrática de acesso", criticou Efraim Filho

Efraim Filho disse ser um "erro estratégico" de não incentivar as lan houses. Na avaliação dele, o governo esquece que o custo da hora na internet é de R$ 1,50 nas lans e R$ 7 nos telecentros oferecidos pelos estados. Ele acredita que a lan house é a melhor forma de promover a inclusão social e digital dos mais humildes.

Conferência Pública na sede da ANID - Associação Nacional para Inclusão Digital

Data: 24 de maio de 2010.

Local: Av. Piauí, 207 ,Bairro dos Estados – Joao Pessoa

Horário: 15 hs


Fonte: PBAgora

_________________
abcid  Associação Brasileira de Centros de Inclusão Digital
  Diretor de Divulgação e Mídia Digital ABCID
  http://www.abcid.org.br   /  http://www.portaldaslans.com.br

avatar
Alexandre
Admin
Admin

Masculino Número de Mensagens : 942
Idade : 48
Localização : Serra Negra - SP
Nome de sua Lan House : Open World Internet & Café
Ano da Abertura : 2003
Data de inscrição : 14/07/2007

Ver perfil do usuário http://www.openworldsn.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

- Tópicos similares
Compartilhar este artigo em: diggdeliciousredditstumbleuponslashdotyahoogooglelive

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum